Operação Pecúlio: Reni Pereira e Paulo Gorski são conduzidos pela PF

PUBLICIDADE

Com assessoria

A Polícia Federal deflagrou hoje (19) a Operação Pecúlio, com o objetivo de desarticular um grupo criminoso responsável por crimes contra a Administração Pública, principalmente por fraudes em processos licitatórios em, Foz do Iguaçu.

Um dos alvos de condução coercitiva é o prefeito de Foz, Reni Pereira (PSB). Em sua casa, foram encontrados R$ 120 mil.

Há pessoas de Cascavel envolvidas, inclusive, ligadas à administração municipal. O presidente da Cettrans (Companha de Engenharia, Transporte e Trânsito), Paulo Gorski, foi conduzido à Delegacia da PF. Segundo a imprensa local, vários malotes foram levados á Delegacia, mas não se sabe se havia dinheiro.

Cerca de 250 policiais federais, 23 servidores da Receita Federal e 14 da CGU cumprem 4 mandados de prisão preventiva, 10 mandados de prisão temporária, 19 conduções coercitivas e 51 mandados de busca e apreensão em residências dos investigados, órgãos públicos e em empresas supostamente ligadas à organização criminosa.

As investigações foram iniciadas há dois anos, quando ficou constatada a existência de indícios de ingerências de gestores do município, de forma direta e indireta, em empresas contratadas para prestação de serviços e realização de obras junto à Administração Municipal. Para essas obras, foram direcionadas quantias milionárias de recursos públicos federais (PAC e outros), bem como em empresas contratadas para prestar serviços ao Sistema Único de Saúde – SUS.

Os investigados responderão pelos crimes de peculato, corrupção passiva e corrupção ativa, prevaricação, crimes à lei de licitações e organização criminosa. Se condenados os envolvidos podem pegar penas de mais de vinte anos de prisão.

 

1 comment

  1. Pingback: PF prende prefeito e funcionário de Beto Richa em Foz do Iguaçu

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *