Por que os alunos do Ceep foram à Câmara de Vereadores?

PUBLICIDADE

O professor de Filosofia, Jeferson Kaibers, em entrevista exclusiva ao blog, explica porque e qual o contexto da visita que os estudantes do Ceep (Centro Estadual de Ensino Profissionalizante) participaram da sessão da Câmara de Vereadores na segunda-feira passada.

O uso da tribuna feito por Kaibers incomodou alguns vereadores e levou um dele, Romulo Quintino (PSL) a fazer duras críticas e afirmar que os estudantes foram usados como massa de manobra. Houve reação nas redes sociais.

Ele afirma que foi à Câmara para explicar aos parlamentares o que é a LDB (Lei de Diretrizes e Bases da Educação) mas que o debate terminou nas questões de gênero.

Kaibers afirmou que havia autorização dos pais para que os alunos fossem à Câmara, como em toda visita técnica e falou de uma pesquisa aplicada pelos vereadores sobre a LDB. “O resultado não foi muito diferente do que esperávamos: muitos deles erraram todas as perguntas!”, afirmou o professor.

Leia a íntegra da entrevista:

Laís Laíny – Em que contexto do aprendizado eles foram levados?

Jeferson Kaibers – Bom pra começar, nos colégios existem as visitas técnicas que todos os cursos ou séries fazem. É através dela que o aluno tem o momento de associar conteúdos estudados à pratica, pois somente assim o ensino fará sentido prático, dinâmico e interessante. Ou seja, as visitas técnicas são didáticas.

Elas são feitas mediante aprovação de um projeto de visita, pela direção, equipe pedagógica, coordenadores e professores. Na sequencia são enviadas autorizações ao pais para que assinem e autorizem seus filhos a ir na visita.
Os pais que têm duvidas ligam e conversam com a equipe pedagógica ou professor sobre a visita. Somos profissionais e não estamos brincando em serviço

Também trabalhamos no colégio com um visão avançada de educação, onde as disciplinas devem fazer o que chamamos de interdisciplinaridade.
Assim, todo ano as disciplinas de filosofia e historia, algumas vezes também sociologia, fazem um projeto em conjunto chamado Ética e Cidadania, já que a LDB (Lei de diretrizes e Bases da Educação) nos obriga a levar uma formação ampla, para cidadania, além dos conteúdos.
Fico perplexo com afirmações de um vereador que disse que “escola não é lugar de democracia”. Sinto mesmo vergonha de ouvir isso. Ele precisa ir conhecer nossa escola.

 

Laís Laíny – Você comentou na Câmara sobre uma pesquisa. Qual é essa pesquisa?

Jeferson Kaibers – Nessa visita os alunos fizeram uma pesquisa que faz parte da disciplina de Filosofia, conteúdos de Filosofia Política, amparado pela Diretriz Curricular de Filosofia do Estado do Paraná.

Após estudarmos os fundamentos básicos de democracia, surgiu uma discussão na sala, onde os alunos perguntaram se os vereadores sabiam desses conceitos.
Então propus como atividade realizar uma pesquisa escolar com cada um deles, para sabermos sobre o domínio dos conceitos básicos, pelos vereadores.

Laís Laíny- E qual foi o resultado?

Jeferson Kaibers – O resultado não foi muito diferente do que esperávamos: muitos deles erraram todas as perguntas!  Os que acertaram quase todas foram os vereadores Paulino, Paulo Porto, Gugu Bueno, Pedro Martendal, Bocasanta e Nei Haveroth. Alguns vereadores se recusaram a responder, argumentando que as perguntas eram sobre gênero ou que eram de esquerda! Os alunos ficaram abismados com a situação!

As perguntas eram:
O que é isonomia? (Direito, lei igual para todos)

O que é isegoria? (Direito à palavra na assembleia)

Qual tipo de democracia há no Brasil, segundo artigo primeiro paragrafo único da Constituição Federal de 1988? (representativa)

O que significa LDB? (Lei de Diretrizes e Bases da Educação nacional)

O que é Estado Laico? (Religião não pode ter preferência, interferir na política)
A grande mentira pregada pelo Vereador Romulo foi que os alunos foram levados como massa de manobra para defender ideologia de gênero! Mais uma vez sentindo vergonha!

Depois que os alunos foram embora, acabou a visita técnica, fiz uso da tribuna, que é um direito no regimento interno, através da APP Sindicato. A fala foi de esclarecimento e a maior parte do tempo foi explicar aos vereadores o que é LDB, visto que quase metade não sabia, como verificamos na pesquisa.

É uma pena que um professor tenha que usar a tribuna para explicar a alguns vereadores algo que ele é pago pra fazer: Estudar as leis!

Mas o mais triste é ver que, ao invés de agradecerem, alguns usaram de calunias e difamação. Mas eu achei ótimo. Todos estão vendo quem é quem.

 

Laís Laíny – E qual a reação dos alunos dessas turmas ao que aconteceu?

Jeferson Kaibers – Os alunos e os pais estão revoltados com a mentira de Romulo, os pais mandaram apoio e tem alunos escrevendo cartas, por conta própria, ao vereador. Fico muito feliz que meus alunos não só sabem mais de democracia que alguns vereadores, mas também são cidadãos críticos, que não aceitam ser massa de manobra!
Nos orgulhamos porque o CEEP tem um dos melhores índices de avaliação, temos alunos passando em medicina na Unioeste; mas nossa preocupação vai além dos conteúdos, é preciso formar para a cidadania, para a democracia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *