Curso de Medicina em Toledo abre negociação para que Hospital Regional seja Universitário

PUBLICIDADE

A confirmação da UFPR de que Toledo terá um curso de Medicina trouxe consigo a inevitável expectativa de que o HR (Hospital Regional) funcione como um Hospital Universitário.

O HR não está funcionando, embora o governo do Estado tenha assumido o compromisso de assumir a gestão.

Agora, com o curso de Medicina já para 2016 e como a formação dos futuros médicos exige uma estrutura hospitalar, já começou a articulação do prefeito de Toledo, Beto Lunitti (PMDB) e do reitor Zaki Sobrinho.

“Já conversamos como reitor para buscarmos um entendimento com a empresa brasileira de administração hospitalar para tornar este hospital federal e que os acadêmicos junto com seus professores, e depois todo um corpo clínico, técnico e todos os afins referentes aos cuidados com a saúde possam ser evidentemente geridos por essa empresa”, disse o prefeito.

Lunitti adianta que está prevista uma viagem à Brasília para acelerar o processo.

“Temos esse compromisso que o Governo do Estado do Paraná assumiu de fazer a gestão do Hospital Regional. Nenhuma das hipóteses fica descartada e é natural que para os próximos dias, tanto nós, como o reitor poderíamos marcar uma ida a Brasília para iniciarmos as tratativas em relação a como vai funcionar o HR”.

O funcionamento efetivo do Hospital Regional é uma necessidade urgente da região oeste, cujos municípios sofrem com o problema crônico de falta de leitos e alta de demanda concentrada no HUOP (Hospital Universitário do Oeste do Paraná), ligado á Unioeste.

“Queremos dentro do contexto da política, melhorar as condições de saúde de Toledo e da região. Fico feliz por ter conseguido, junto a Universidade Federal do Paraná trazer o curso de Medicina para Toledo”, afirma Lunitti.

A confirmação de que Toledo terá o curso de Medicina de UFPR foi divulgada ontem à noite. A oferta de vagas valerá já para o próximo vestibular, marcado para 8 de novembro. Serão  60 vagas para o novo curso de Medicina em Toledo (30 no primeiro semestre de 2016 e outras 30 no segundo).  O processo seletivo adotará o sistema de cotas, garantido pela Lei 12.711, o Decreto n° 7.824 e a Portaria nº 18/2012.

Obras no campus

Segundo Zaki Akel Sobrinho, a construção dos prédios destinados ao campus deve começar em 2017. O reitor explicou que os cálculos dos investimentos necessários à compra dos livros, equipamentos, mobiliário e à instalação dos laboratórios estão sendo finalizados, mas adiantou que o campus da UFPR de Palotina dará suporte ao de Toledo. Além disso, o Setor de Ciências da Saúde da UFPR – sob a supervisão do vice-reitor Rogério Mulinari – fará o treinamento e acompanhamento do corpo docente e da infraestrutura necessária para o pleno funcionamento do curso.
O reitor explicou ainda que a diferenciação de Medicina em Toledo será o foco no programa federal Saúde da Família, de acordo com nova diretriz curricular definida pelo MEC. “Futuramente, poderemos pensar também na criação de cursos de pós-graduação no campus e em expandi-lo para outras áreas da saúde”, disse.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *