Para deputado, Sesp diz que 181 no interior não vai acabar. Será?

PUBLICIDADE

A Sesp (Secretaria de Estado de Segurança Pública) do Paraná informou hoje (23) ao deputado estadual Leonaldo Paranhos que o serviço 181-narcodenúncia no interior do Paraná.

Em resposta a um pedido de informações feito pelo deputado, o secretário de Segurança Wagner Mesquita negou a desativação. Dado que contradiz o alerta feito na semana passada pelo presidente do Conseg (Conselho Municipal de Segurança) Luiz Sérgio Wosiack.

Ao jornal O Paraná, Wosciak disse que a ideia era centralizar disque-denúncia em Curitiba, em um call-center. Formato que, para o Conseg, não funciona.

“Em vários outros setores onde os call center foram implantados não deu certo. Ficam passando a ligação para várias pessoas e ninguém resolve”, disse Wosiack, semana passada ao O Paraná.

Segundo nota da assessoria de Paranhos, a Sesp confirmou que não haverá a extinção do serviço no interior e nem demissão de atendentes.  O parlamentar se diz satisfeito com a explicação da Sesp.

“Estamos satisfeitos, pois o documento assinado pelo secretário Wagner Mesquita põe fim aos boatos que davam conta da extinção do serviço no interior”, comentou Paranhos.

No documento expedido pelo gabinete do secretário, a SESP informa que trabalha em parceria com a CELEPAR (Tecnologia da Informação e Comunicação do Paraná) um projeto que prevê diversas melhorias do 181, “passando a ser este o canal oficial de contato do cidadão para a realização de denúncias no âmbito da segurança pública em todo o estado. Com a ampliação do sistema, o cidadão poderá também fazer denúncias on line pela internet, através do 181 (www.181.pr.gov.br), acesso via WhattsApp, podendo também anexar fotos e demais arquivos sem o comprometimento do anonimato.

Ainda de acordo com a SESP, há de fato um projeto em andamento para a reformulação do 181-Disque Denúncia, mas sem prejuízo para o cidadão e sem prejuízo para a atividade policial. “O novo modelo vai permitir a centralização das informações, permitindo a análise em um banco de dados mais amplo, com melhor aproveitamento das denúncias, contribuindo com as ações de inteligência da polícia no âmbito estadual”, informa o documento, assinado pelo secretário de Estado da Segurança Pública, Wagner Mesquita.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *