No vácuo político 15 querem ser prefeito de Cascavel

PUBLICIDADE

prefeitos

A pouco mais de um ano das eleições municipais Cascavel vive o vácuo político. Temos Edgar Bueno (PDT) prefeito que não pode se reeleger e nem eleger o filho e uma cadeira que daqui um ano e meio estará “vazia”.

Entre os que já se assumiram e os que ainda “não saíram do armário”, o cenário no momento aponta para 13 pré-candidatos.

Esse vazio mexe com os desejos de quem está no meio político e o que não falta em Cascavel é pré-candidato. Todo dia aparece um.

Tem os que se acham predestinados, tem os que contam com dinheiro, tem os que contam com o tempo de TV que seu partido tem. Há também os nanicos, os que só vão entrar para brigar e desgastar os adversários fortes e aqueles que só ensaiam, e vão usar a pré-candidatura para negociar acordos políticos no futuro. Vai ter de tudo na eleição de 2016.

Uma salada na cabeça do eleitor. O grande problema de tanta gente querendo ser prefeito é que, na verdade, nem todos querem mesmo ser prefeito.

Tem muitos que só querem cacife político. Aumentar seu poder de barganhar algo em troca na reta final das convenções para desistir em troca de alguma coisa.

Nessa onda de um pré-candidato a cada esquina, é importante o eleitor estar atento a toda essa movimentação. Observar quem, de todos esses que lançam, realmente vão disputar a cadeira de prefeito.

 

Veja quem são e porque cada um deles são pré-candidatos.

Leonaldo Paranhos (PSC)

Paranhos

Deputado estadual de segundo mandato. Mestre em usar a mídia em se favor, Paranhos sempre apareceu “bem na fita”. Já foi vice-prefeito ao lado de Edgar Bueno (PDT) e na última eleição esteve na lista dos que ensaiaram uma candidatura à prefeito, e na última hora desistiu. Era um forte candidato a tirara a prefeitura das mãos de Edgar e o motivo da desistência causou estranheza.

 

Márcio Pacheco (PPL)

Pacheco

O predestinado. Assim que ele é visto nos bastidores e nas rodas de conversa de quem acompanha a política de perto. Impressão que é fruto de sua carreira meteórica na política. Elegeu-se vereador prometendo não receber salário – uma campanha que poucos arriscavam que daria certo; a presidência da Câmara de Vereadores caiu no seu colo também de forma inesperada, assim como sua eleição para deputado estadual.

Na eleição, ele não deve ter vida fácil por vários motivos: precisa de uma boa aliança partidária pois seu partido, – o PPL (Partido da Pátria Livre – não tem tempo de televisão e deve enfrentar uma onda de denúncias e rasteiras – isso, inclusive, já começou.

 

Professor Lemos (PT)

Lemos

O deputado estadual é o principal quadro petista de Cascavel. Conseguiu tirar o sono de Edgar Bueno na eleição de 2012, liderando as pesquisas durante quase todo o segundo turno. Perdeu porque a estratégia do atual prefeito de dizer que Lemos não morava em Cascavel colou. Seu desempenho nos debates também fez diferença.

Ele não tem passado a mesma firmeza dos demais quando fala em sua participação na disputa para o ano que vem e diz que ainda é preciso esperar.

 

Marcos Vinicius Pires de Souza (PSB)

Marcos Vinicius

Sua chancela estaria na sua passagem pela Prefeitura de Cascavel como secretário de Educação, Comunicação e Planejamento em gestões anteriores de Edgar Bueno e, pela Unioeste, em um mandato tampão como reitor. Ele é um dos possíveis “apadrinhados” de Edgar Bueno para ter a máquina pública a seu favor.

 

Jorge Lange (PSD)

Jorge lange

O “vitorioso” das eleições passadas apesar de não ter sido eleito. Em sua primeira candidatura ficou em terceiro lugar e agora quer capitalizar a boa imagem que ficou no primeiro turno. Nos bastidores é visto como um dos potenciais escolhidos de Edgar Bueno (PDT).

Assim como na eleição passada, Lange carrega a pecha de ter sido presidente da Cettrans (Companhia de Engenharia de Transporte e Trânsito). Abraçar-se ou livrar-se dessa imagem é uma decisão que ele precisa tomar.

 

Gugu Bueno (PR)

gugu 16

Presidente da Câmara de Vereadores, Gugu já recebeu o aval do presidente estadual do PR, deputado federal Fernando Giacobo (PR). O mais jovem entre os candidatos, tem 32 anos, vai lançar sua pré-candidatura no dia 21 de agosto, em um jantar na Igreja Ucraniana.

Ele fala abertamente de sua candidatura e diz que a PR entendeu que era o momento do partido ter uma candidatura própria. Gugu não esconde seu interesse em ter o apoio de Edgar Bueno.

 

Helio Laurindo (PP)

Foto; Revista Aldeia

O empresário “imperador” dos combustíveis também está no páreo. Embora ele ainda não tenha afirmado publicamente que será candidato, seu nome surge devido a sua tentativa em 2012 de ser candidato pelo PSB.

Sua capacidade de gestão – é dono de várias empresas -, sua eleição como prefeito de Três Barras do Paraná há alguns anos e sua capacidade de investimento são seus pontos fortes.

 

Walter Parcianello (PMDB)

walter

Irmão do deputado federal Hermes Parcianello, o Frangão, Walter desponta para encabeçar a chapa do PMDB, que deve ter candidatura própria.

O peemedebista já foi candidato a vice de Salazar Barreiros e ano passado, de Professor Lemos. Ele, inclusive, foi um dos maiores entusiastas para que a manobra de Edgar Bueno para ganhar a eleição fosse até o fim, para julgamento da mais alta corte do Judiciário.

É um dos melhores quadros, com capacidade administrativa, do PMDB de Cascavel.

 

 

Marlise da Cruz (PV)

Marlise

Ex-vereadora – a mulher mais jovem a chegar ao cargo em Cascavel – Marlise é vista como pré-candidata a prefeita.

Ela está no time dos que ainda não assumem a candidatura e diz que pretende se dedicar ao curso de Direito que está fazendo na Univel.

Conduto, depois de ter ficado “sumida” desde a eleição passada, ela reapareceu no cenário político de lançando a campanha “Com Meu Dinheiro Não” para reduzir salário dos vereadores à próxima legislatura. Estratégia que ela adotou depois do que aconteceu em Santo Antonio do Sudoeste, onde uma mulher puxou um movimento para diminuir o subsídio mensal pagos aos parlamentares.

 

Agnaldo Carvalho (PRTB)

agnaldo

Ele vem pela ala dos “nanicos. Pegou para si o PRTB e já mostrou que vai usá-lo para fazer confusão, como já está fazendo. Assessor parlamentar do vereador Luiz Frare (PDT), Agnaldo tem sido o porta-voz da onda de denuncismo que surgiu há alguns dias em Cascavel contra os deputados estaduais Leonaldo Paranhos (PSC) e Marcio Pacheco (PPL).

Agnaldo é bastante conhecido no meio político. Ex-assessor do vereador afastado Mario Seibert, Agnaldo foi nomeado como diretor da Secretaria de Esportes.

No cenário eleitoral, ele aparece como o “homem-bomba”: sabe que não vai ganhar mas vai promover a discórdia. Ninguém fala, mas todo pensa que ele está fazendo isso a mando do Paço Municipal.

Resposta

Após a publicação do conteúdo acima, Agnaldo entrou em contato com o blog e negou qualquer ligação com o prefeito Edgar Bueno. Segundo ele, seu único compromisso é com o vereador Luiz Frare (PDT).

“Eu quero que este Edgar se exploda. Meu compromisso é com o Frare até acabar o projeto que vai amanhã para votação, o 070 e 073, que é um compromisso firmado com a Acic, CDL e Amic para regularizar mais de 7 mil empresas em desacordo com a lei. Serei candidato nem da situação, nem da oposição. Serei independente”.

Eugênio Rozzeti Filho – Geninho (PTN)

Geninho

Integrante do primeiro escalão do prefeito Edgar Bueno (PDT), Geninho se lançou pré-candidato a prefeito em um jantar realizado sexta-feira (31), na AJC (Associação dos Jornalistas de Cascavel). Aproximadamente 400 pessoas participaram mas somente um colega secretário esteve presidente: José Carlos Cocão (PSL), secretário de Assuntos Comunitários.

Seu engajamento político sempre foi ligado à área de assistência e recuperação de dependentes químicos. Embora faça parte do governo Edgar Bueno, poucos apostam que ele terá apoio do prefeito.

 

Ivanildo Claro (Psol)

Ivanildo

Os partidos da extrema esquerda de Cascavel devem se unir novamente em uma frente partidária. O nome da vez para a disputa deve ser do Professor Ivanildo Claro, do Psol. Ele já disputou na eleição retrasada também pela frente de esquerda que une Psol, PCB e PSTU.

Na eleição passada a candidata foi a professora Rosana Kátia Nazari (PCB).

 

Inês de Paula (PDT)

Inês de Paula

Ela é secretária de Assistência Social de Cascavel. O nome dela surge mais da movimentação dos bastidores do que dela mesma. Inês seria uma opção do PDT para lançar uma candidatura própria. Questiona-se as chances que ela teria para passar, eventualmente, para o segundo turno mas tem chances de ser a escolhida de Edgar Bueno.

 

 

Samuel de Mattos Junior (PMN)

169934_513343725342510_891414237_o

O atual presidente da CDL (Câmara de Dirigentes Lojistas) de Cascavel já se lançou pré-candidato a prefeito de Cascavel em um evento realizado em junho.

Empresário, Samuel deve ser o primeiro candidato próprio do PMN, caso se mantenha até a campanha de 2016.

Nos bastidores, o impacto do lançamento dessa candidatura é de dúvida se essa candidatura realmente vai se efetivar ou se o PMN cederia à pressão de outros partidos.

 

Valdinei Silva (PSL)

Valdinei Silva

O empresário, que já presidiu a Acic (Associação Comercial e Industrial de Cascavel) é citado pelo deputado estadual Adelino Ribeiro da Silva (PSL), como o pré-candidato do partido.

Popularmente é pouco conhecido, mas no meio político seu nome não tem rejeição. Seu nome já foi ventilado na imprensa local.

 

3 comments

  1. Eugénio Rozetti Filho
    3 de agosto de 2015 at 00:46

    Meus parabéns pela análise politica dos pré candidatos, gostaria de receber informações sobre seu trabalho. Obrigado

    Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *