De Cascavel, André Bueno foi o único a votar contra os servidores

PUBLICIDADE

 

Dos 27 deputados estaduais que votaram contra o reajuste de 8,17% aos servidores do Estado, apenas um é de Cascavel. Entre os cinco parlamentares cascavelenses, André Bueno (PDT) é o único que, desde o pacotaço e as célebres sessões do camburão e do dia 29 de abril, segue votando de acordo com os interesses do governador Beto Richa (PSDB).

Os demais, Professor Lemos (PT), Adelino Ribeiro (PSL), Leonaldo Paranhos (PSC) e Marcio Pacheco (PPL), estão entre os 20 que tentaram aprovar a emenda da bancada de oposição que ofereceu o reajuste superior aos 3,45% oferecidos pelo governo do Estado.

Nas redes sociais, os quatro parlamentares que votaram à favor do servidor se manifestaram nas redes sociais.

Professor Lemos lamentou a derrota mas exaltou a luta dos servidores.

“Perdemos no voto mas os servidores lutaram até o fim. Infelizmente o governo não está valorizando o servidor nem respeitando a lei. Seguimos na luta”, comentou.

Em seu discurso na tribuna, ele também destacou o crescimento de 12% na receita corrente entre janeiro e maio, maior do que a estimativa do próprio governo, de 10%. “Essa diferença de dois pontos percentuais representa um acréscimo de R$ 606 milhões no caixa do governo, mais do que suficiente para cobrir o reajuste de 8,17% de reposição da inflação para o funcionalismo.”

Pacheco, desde semana passada, reiterou que seu voto seria à favor dos 8,17%, atendendo ao anseio dos trabalhadores.

“Vou votar contrário ao projeto no formato que está sendo apresentado [com os 8,17%] porque não houve consenso. Mantenho a minha palavra e votarei a favor da emenda”.

Paranhos também lamentou a rejeição à emenda.

“Lamentavelmente a emenda não passou. Havia uma expecta muito grande dos 20 deputados e dos servidores que estão acompanhando”, afirmou Paranhos em vídeo gravado logo após o término da votação.

Em seu perfil nas redes sociais, Adelino disse que votou contra os 3,45% para manter a coerência e o posicionamento adotado desde o início das negociações.

“Mantive a minha posição favorável à reposição das perdas salariais, pelos 8,17% aos servidores, mas por 27 votos a 20, a discussão da emenda foi rejeitada. Em seguida, foi votado o projeto do governo, que concede o reajuste de 3,45% em outubro. Meu voto foi contrário, mantendo a coerência e posição assumida desde o início das negociações salariais”.

Ao contrário dos demais colegas de Cascavel, André Bueno não publicou uma justificativa para seu voto.

Confira abaixo qual foi o posicionamento de cada um dos deputados estaduais à emenda que propunha o aumento de 8,17%.

votos

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *